quarta-feira, 29 de julho de 2009

Travel - Parte 6 (Go Home)


Amanhã, voltarei pra casa!

Depois de 1 semana e meia que fiquei em Indaiatuba, onde, briguei no trânsito, um médico me chamou de vagabundo, paguei com os olhos da cara os óculos, passei um apuro danado com uma véia peidorreira no ônibus até Campinas, estou finalmente voltando para a pacata Adamantina.

Estou louco para rever os meus amigos, tomar uma cerveja, por o papo em dia e me aconchegar no conforto do meu lar (nada como a nossa casa, não é?).

Após essa louca jornada onde aconteceu quase tudo, só me resta torcer para que a viagem de volta seja muito boa e que nenhuma "gaseosa" me atormente dentro do busão!

sábado, 25 de julho de 2009

Travel - Parte 5 (Peace)


Hoje foi um dia diferente!

Acordei com torcicolo e... fiquei puto.

Depois de um tempo ele passou e meu dia começou a ficar bom.

Vi a minha avó, tios e primos que não via há algum tempo, colocamos as conversas em dia e relembramos alguns momentos que passamos juntos.

Tomei cerveja com os meus primos, fizemos um churrasquinho, falamos bobeira e tocamos violão.

Hoje, finalmente tive um dia muito bom, depois de um médico praticamente me chamar de vagabundo, gastar o dinheiro da minha mãe, gastar uma grana com óculos, me perder em Piracicaba, um cego louco bater no meu carro, meu dia foi auspicioso e me agregou muitos valores!

Vou dormir em paz e com a consciência quase tranquila (afinal de contas eu tenho meus pecados).

Amanhã eu vou no espetáculo Improvável.

Espero que o meu dia até a hora do espetáculo continue assim, calmo e tranquilo, porque eu mereço ficar menos puto, não é?

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Travel - Parte 4 (PQP)


Hoje o dia foi cheio e nem um pouco proveitoso...

Fui buscar as lentes de contato e me custaram os olhos da cara.

Só aí, já fiquei mal humorado.

Voltei pra casa, almocei e a tarde fui no cinema com minha mãe e minha irmã. Fomos assistir A Era do Gelo 3. Minha mãe comprou a minha pipoca, a dela e antes de entrarmos na sala, escuto um barulho que me fez pensar uma coisa: "Ai carai..."

Quando eu olho, minha mãe derrubou a pipoca tamanho gigante todinha no chão. Eu nunca tinha visto tanta pipoca esparramada na minha vida, sem contar que todos ficaram olhando pra nossa cara dando risada.

Que vergonha! Por mim eu cavaria um buraco no chão e enfiava o meu corpo inteiro dentro...

Saímos de lá e fomos pro ortopedista porque eu estourei o pé jogando futebol com os amigos em um desses finais de semana.

Estacionei o carro em frente a clínica atrás de um outro automóvel, desliguei a chave e quando eu olho, o motorista da frente veio dando ré, dando ré, dando ré...

PÁ! Bateu no meu carro...

Preciso dizer que eu fiquei puto?

Desci do carro, me dirigi à janela do cidadão, olhei para o sujeito e disse que era pra ele prestar atenção, tomar mais cuidado e que não havia acontecido nada demais.

Nesse momento, minha mãe saiu do carro:

-Filho, o que aconteceu?

-Como o que aconteceu? Esse cego filho da p#$@ deu ré e bateu, eu não sei porque usa óculos...

Aí ele me disse o seguinte:

-Ow rapaz, na verdade é você que está errado, você não sabe que não se deve estacionar a menos de 3 metros da esquina?

Quando ele me disse isso, meu sangue ferveu:

-VAI TOMAR NO SEU C$@# FILHO DA P#$@, VOCÊ QUER PEGAR UMA TRENA E MEDIR AQUELE ESPAÇO? EU ESTOU A PELO MENOS 7 METROS DESSA ESQUINA SEU MERDA, SE VOCÊ NÃO SABE MANOBRAR ESSA PORRA, SAI DE CASA A PÉ OU PEGA UM ÔNIBUS...

Ele arregalou os olhos e durante alguns segundos ficou me olhando, e, depois disso, foi embora sem dizer uma palavra.

Fiquei mais aliviado.

Entrei no consultório, o médico me examinou e pediu um raio x que era feito ali mesmo na clínica.

Depois de analisar, disse o que havia de errado e no final soltou essa:

-Isso aconteceu porque você deve estar meio desocupado, você precisa trabalhar...

Fiquei puto de novo.

Olhei profundamente nos olhos dele com um desejo incontrolável de esganá-lo.

Me controlei, e saí daquele lugar sem dizer uma palavra...

Amanhã nenhum plano especial, visitarei alguns parentes na cidade ao lado e espero não ter surpresas, porque hoje foi um diazinho duro de passar, vocês não fazem idéia...

Travel - Parte 3 (Eyes)


Manooooo!!

Fui no oftalmologista de manhã e descobri que o grau do óculos que eu não uso aumentou.

A consulta estava marcada para as 10:30 da manhã, fui atendido as 11:10 e a consulta demorou menos de 10 minutos (não preciso dizer que fiquei puto, não é?).

Saí do consultório eu fui na ótica para ver se tinha alguma armação de óculos que me despertasse o desejo de comprar e finalmente assumir a minha miopia diante de todos. Encontrei uma armação "muito loka" e estava determinado a comprá-la:

-E então, gostou de qual senhor César?

-Dessa esportiva aqui...

-Ok, ela com a lente custa apenas R$ 590,00.

-Ah, beleza, R$590,00 né...

-Isso...

-Vou ali no banco e já volto...

Não voltei.

Achei um tanto quanto caro pagar esse valor naquele instrumento de correção, que sempre me deixa com cara de retardado mental.

Voltei pra casa, almocei e fui pro consultorio novamente para o oftalmologista para escolher as lentes de contato ideal.

Saí de lá e fui até outra ótica.

Achei um modelo muito bonito e estava disposto a comprá-lo:

-Então senhor César, gostou de qual?

-Dessa esportiva aqui...

-OK, ela com a lente custa apenas R$700,00.

-Ah, beleza, R$700,00 né...

-Isso...

-Vou ali no banco e já volto...

Voltei para a ótica de R$590,00. Chegando lá, recebo a notícia de que haviam vendido a armação que eu queria.

Fiquei puto.

Voltei na de R$700,00 e comprei o óculos.

Agora só falta eu comprar as lentes de contato e acabar de falir de vez.

Depois desse dia fatídico, eu quero mandar um beijo pra Verônica, Jéssica, Ayumi, Patrícia (vila do Chaves), Maraisa, Lys, Patrícia (Prof), Jade, Camila Heloise e Thaís Marçal e um abraço pro Vinícius e Eduardo Ross que acompanham esse blog.

Amanhã eu vou no ortopedista e to morrendo de medo.

To pressentindo um dia tenso...

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Travel - Parte 2 (Maps, Shop...)


Olá!

Hoje acordamos cedinho pra ir à tal palestra em Piracicaba, mas, havia um poblema, não sabíamos chegar ao local onde ela seria realizada.

Fomos muito bem até a cidade, mas chegando lá ficamos mais perdido do bala em boca de banguelo...

Graças o bom Deus eu tive a idéia de levar o notebook dentro do carro, e, ainda bem q minha mãe usa aqueles modens 3G.

Apelei para o google maps.

Já tava tudo fudido mesmo, atrasado meia hora, resolvi fazer a rota nessa oitava maravilha do mundo moderno. É impressionante a precisão dessa coisa, chegamos em 5 minutos!

Quando finalmente chegamos no prédio, minha mãe na maior cara de pau mal lavada, bate na porta, abre e com uma expressão que até eu fiquei com pena disse:

-Ai, licença, eu atrasei um pouquinho porque eu peguei trânsito...

Trânsito?

Que porra de trânsito que se tem numa cidade do interior?

Ela podeira ter dito que entrou em trabalho de parto, que o Michael Jackson ressucitou na casa dela, sei lá mano, mas que estava presa no trânsito...

Sai correndo dali...

Fui lá fora esperar a palesra acabar, achei que ia demorar. Deu 10 minutos, minha mãe me liga dizendo que a palestra já havia acabado. Ela só entrou para pegar o material e assinar a lista...

Saimos de lá, abri mais uma vez o google maps e chegamos no shopping.

Almoçamos no Pizza Hut e extorqui um pouco a minha mãe ali (é sério, até eu fiquei com dó dela (vocês nunca mais vão ler que eu fiquei com dó dela um dia, é sério)).

Voltamos pra Indaiatuba e fomos pegar a guia do convenio pra eu poder ir ao oftalmologista na quinta-feira, o sistema estava fora do ar...

A noite fomos no cinema e os ingressos estavam esgotados...

Fiquei conversando com a Sarah, uma amiga que pode-se dizer que nos conhecemos na internet, ela trabalha no mesmo hospital que minha mãe. É a pessoa mais tonta, engraçada, tonta, besta, tonta e... tonta que eu ja conheci!

Hoje o meu dia foi meio sem graça e pra ajudar, chegando em casa recebi a notícia de que o meu verdão perdeu (valeu pela notícia Véri)...

Mas eu estou pressentindo que algo vai acontecer no oftalmologista, tenho certeza...

Medo, muito medo...

terça-feira, 21 de julho de 2009

Travel - Parte 1 (she has gas)


Opa, tudo certo?

Hoje acordei, tomei um banho pra despertar, tomei meu café da manhã e fui pra rodoviária de Adamantina pegar o ônibus para Campinas. Até aí, tudo normal.

A minha mala foi guardada no bagageiro, entreguei a minha passagem ao motorista e comecei a procurar o meu assento. Até aí, tudo normal.

Quando finalmente encontrei o meu lugar, havia uma senhora na poltrona ao lado da minha; Me sentei e a cumprimentei com um simpático "bom dia!"... Ela sequer olhou pra minha cara. Pronto, fiquei de bode.

O ônibus mal havia saído do terminal rodoviário quando repentinamente um mal cheiro empestiou aquele veículo. Todos ficaram atentos para qualquer movimento suspeito do indivíduo que cometeu o atentado...

Ninguém moveu um dedo sequer.

Percebi que a senhora que estava ao meu lado, completamente muda, estava um tanto quanto inquieta. De repente, ela levanta discretamente uma das nádegas e em seguida faz cara de alívio...

Puta que pariu!

Nada nesse mundo poderia cheirar tão mal. Me senti como se estivesse envolto a uma nuvem densa fedidamente fedida. Como pode uma senhora daquela soltar algo tão fedorento e avassalador?

A mulher parecia uma balão de gás, foram (pasmem) 8 horas com essa mulher peidando a cada quilometro percorrido.

Só para deixar registrado, a distância entre Adamantina e Campinas é de mais ou menos 560 km(a partir daí, imaginem o que eu passei...).

Como dizem, é melhor ela cuidar da alma, porque o corpo já foi faz tempo...

Na quarta irei para Piracicaba ver uma palestra com a minha mãe...

Tenho o pressentimento de que o dia não será auspicioso...

Aguardem...

domingo, 5 de julho de 2009

O que fazer?


O que fazer quando dói o coração e as lágrimas não podem ser contidas?

E quando a alma é tomada pelo sofrimento e o amor agoniza clamando desesperadamante para ser correspondido?

O que fazer quando o mais nobre dos sentimentos se afoga num mar de tristeza?

E repentinamente o mais belo dia de uma primavera, se torna a mais escura e fria noite de inverno?

O que fazer quando sentimos que uma espada atravessou o coração?

O que fazer com essa dor?

E esse amor?

O que fazer quando não há mais nada a fazer?

O que fazer?

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Fim.


"Nem tudo é como você quer, nem tudo pode ser perfeito..."


Noite nublada.
Uma ligação.
Algumas palavras trocadas.
Os olhos lacrimejam.
Fim da ligação.
Fim da noite.
Fim da história.
História sem começo.
História sem meio.
História com fim.